quinta-feira, julho 02, 2009

"Conversar a Escola" com os Contos da LUA NOVA...

Estive na Junta de Freguesia do Milharado na última sessão deste ano escolar da iniciativa "Conversar a Escola das 9 às 10" e a conversa, que correu ao ritmo da partilha, diálogo e cumplicidade entre os pais, educadores e professores presentes, não podia ter sido mais agradável e prazerosa.
Este projecto "nasceu" do sonho de vários docentes desta região que juntaram sinergias com o objectivo de realizar "sessões de diálogo com Pais, Encarregados de Educação, Docentes, Famílias e Comunidade em geral que possibilitem a todos a sua vez e a sua voz na construção destes caminhos de Educação Partilhada".

Desta vez não vos deixo a minha "história" do que se passou. Convidei a equipa do "Conversar a Escola das 9 às 10" para vos contar, o que foi este encontro.
Aproveito, claro, para agradecer, em primeiro lugar pelo convite, depois pelo esforço e dedicação com que se empenham neste projecto e, por último, pelo carinho com que me receberam.




"Mais uma noite, a última noite do "Conversar a Escola das 9 às 10" e nada melhor do que terminar como começámos: com histórias.

A Liliana Lima trouxe-nos a surpresa de Conversar sobre as "estórias". As nossas, as dos livros, a das crianças, as das coisas... Ao longo de mais de uma hora (com a autorização de todos os presentes!) "voámos" sobre o fascínio das histórias, dos livros, das muitas "estórias" que cada história dos conta.

Cada história desperta em cada um de nós (a quem conta, a quem lê, a quem ouve...) uma multiplicidade de sentimentos e sensações que motivam uma mudança. Esta mudança, que parte do entendimento que fazemos da história, é, ela própria, motivadora da alteração do nosso rumo pessoal e individual.

O efeito que cada história tem sobre nós é diferente e difere da forma, do momento, do tempo em que somos seus protagonistas ou apenas ouvintes que a ouvem, a lêem, a sentem....

Sabendo que cada história tem "mil leituras", é fundamental perceber como é que cada um dos nós (pais, educadores, leitores, profissionais...) pode e deve interagir com as histórias e com as leituras. Será que a leitura de um livro deve ser "tipificada"? Será que devemos ler livros sempre da mesma forma? Será que devemos escolher os livros que lemos tendo apenas em conta as nossas "crenças"? Para estas e outras perguntas que foram surgindo, a reflexão de todos foi contribuindo para enriquecer as dinâmicas de partilha que foi o mote do projecto "Conversar a Escola...". E, mais uma vez aqui, tal objectivo se cumpriu.

Com exemplos práticos de recursos e dinâmicas de organização de momentos de leitura e de promoção das histórias, a Liliana Lima levou-nos por "aventuras" de compreensão e de exploração de textos escritos, mas, acima de tudo, de textos entendidos e/ou para entender.

Cada história é um momento único de apresentação de quem somos, de quem queremos ser e de quem gostariamos de ser. Mas, acima de tudo, cada história é o que cada um de nós é.

E compreender isso é fundamental para compreender o que as histórias podem fazer por cada um de nós... "Conversar a Escola" é, também isto: compreender o nosso papel na relação com as instituições e com a suas "histórias"."





A todos os que connosco partilharam este serão, o nosso bem haja e até sempre!

Um abraço da LUA NOVA!

1 comentário:

aurea disse...

Olá Liliana! para além dos meninos encantas também os pais...
Um grande beijinho.
Estou de férias. Quando é que nos vimos?
Tenho de combinar com a Vanda.
beijão